planejamento de ti

Continuidade do negócio: entenda o que é e a sua importância

Muitos gestores acreditam que ter as informações do seu negócio estruturadas na nuvem é um plano de continuidade de negócios, mas não é o caso. Existe muita confusão em torno das diferenças entre o Backup, a Recuperação de Desastres e o Planejamento de Continuidade de Negócios. Esses assuntos são interdependentes, entretanto possuem suas diferenças e esse post tem como objetivo esclarecer de uma vez por todas o que significa exatamente o plano de Continuidade de Negócios.

Quais são as vantagens e os benefícios e, o mais importante, como aplicá-lo na prática?

O que é gestão de continuidade de negócios?

O Planejamento de Continuidade de Negócios é melhor descrito como os processos e procedimentos que são executados por uma organização para garantir que as funções essenciais do negócio continuem a operar mesmo durante ou após uma catástrofe.

Esse tipo de planejamento permite que os serviços sejam prontamente restabelecidos e estejam em total funcionamento da maneira mais rápida e suave possível. Na prática, a pergunta que deve ser feita é “Se nós perdêssemos tudo hoje, como poderíamos recomeçar nosso negócio?”.

Um plano de Continuidade de Negócios é totalmente proativo e deve ser construído com antecedência. Nesse plano, é feita uma análise de como a empresa reagiria frente a acontecimentos tais como desastres naturais e locais (ex.: inundações e incêndios), falhas na rede, em servidores de arquivos e softwares, falhas de energia, ameaças e erros humanos, sabotagem, ataques de vírus, entre outros.

Por que a gestão de continuidade do negócio é tão importante?

Vamos começar lembrando como os efeitos de um desastre podem afetar amplamente um negócio. Paralisações provocadas por quedas de energia ou de internet podem devastar a empresa, impedindo que os clientes usem seus produtos e serviços por um período suficiente para desistirem deles. O resultado é uma imagem ruim para a empresa.

Agora imagine situações catastróficas em grande escala, como inundações ou incêndios. Isso pode deixar a empresa inoperante por muito tempo e, se ela não tiver a capacidade de voltar a operar rapidamente, os efeitos mencionados anteriormente serão multiplicados, já que os ativos físicos também serão atingidos, atrasando ainda mais a recuperação.

Um plano de continuidade de negócios é fundamental nesse sentido, pois além de preparar condições e profissionais para lidarem com as emergências, leva em consideração o que será necessário para que o negócio volte a funcionar o mais rápido possível.

Um plano de continuidade do negócio efetivo com base nas melhores práticas deve gerar os seguintes benefícios à empresa:

  • permitir a recuperação de dados e sistemas dentro de um prazo bem curto;
  • ajudar a empresa a cumprir com suas obrigações legais e estatutárias;
  • minimizar os efeitos de uma paralisação não planejada;
  • elevar os níveis de confiança aos serviços prestados;
  • preservar a marca e a imagem da empresa;
  • reduzir os riscos de perdas financeiras.

Como aplicar a gestão de continuidade de negócios na prática?

Planeje e nomeie os profissionais responsáveis

Ao iniciar o projeto de continuidade de negócios, você deve nomear um comitê de gestão para coordenar e supervisionar os processos e se responsabilizar pela execução das etapas necessárias, do planejamento à implementação, e designar os recursos, bem como testar e auditar continuamente a estrutura planejada.

O comitê deve assumir ainda o papel de aprovar a estrutura, distribuir os papéis de cada indivíduo envolvido no projeto, criar as equipes necessárias para desenvolver e executar o plano de continuidade do negócio e priorizar as operações comerciais mais críticas.

Analise o impacto das interrupções ao negócio

Essa análise é importante, pois tem como objetivo ajudar os gestores e diretores a identificarem os processos mais críticos do negócio. Essa descoberta é feita a partir da análise do impacto gerado por uma interrupção das operações, levando em consideração as consequências econômicas, legais e outros prejuízos.

Com base nessas informações, o comitê organizador do projeto deve decidir o que será priorizado nas situações de emergência, dando preferência para as operações mais importantes e lucrativas até que a recuperação total seja realizada. Isso deve evitar a perda de receitas e impedir um efeito cascata após uma paralisação inesperada.

Planeje resposta e recuperação de desastres

Um plano de continuidade de negócios deve ser organizado de forma que fique bem claro os detalhes sobre como as operações mais críticas serão executadas durante o período de interrupção.

Cada processo deve ser cuidadosamente planejado e englobar todos os riscos e ameaças possíveis, cada profissional responsável, os processos e etapas de recuperação, as medidas mais apropriadas utilizadas como resposta à paralisação e a necessidade de remoção para uma instalação virtual e/ou física alternativa.

Treine a equipe de profissionais

Após o plano de continuidade do negócio entrar em vigor, será necessário capacitar os profissionais periodicamente para que não esqueçam do que foi planejado e possam cumprir exatamente o que foi determinado quando chegar a hora. Além de serem treinados em suas responsabilidades, também devem estar cientes de outras funções da equipe que estão associadas às suas responsabilidades.

O treinamento deve incluir exercícios de simulação, tendo um cenário e condições programados para imitarem a realidade. Isso permitirá o treinamento das ações de resposta imediata e de recuperação de desastres. Faça isso, respeitando a sequência correta de cada ação após a paralisação para ter melhores resultados nos treinamentos.

Teste a estrutura

Durante a fase de treinamento, aproveite a oportunidade para testar e avaliar o plano de continuidade do negócio como um todo. No processo, descubra pontos fracos e possíveis falhas (gargalos), e discuta com o comitê organizador as melhorias possíveis, tornando-o ainda mais preciso e eficaz.

Conte com o apoio de especialistas

Mesmo que a sua empresa tenha uma equipe de TI altamente qualificada, talvez ainda não tenha lidado com isso. Estruturar um plano de continuidade do negócio em grandes proporções e com alto grau de precisão vai demandar tempo, dinheiro e profissionais com as habilidades e experiências certas. Se não dispuser desses recursos, o plano pode ser falho e trazer mais problemas do que soluções.

Nesse caso, o mais certo a fazer é terceirizar essa função para uma empresa especializada em planos de continuidade do negócio que usem de forma integrada as soluções de backup e recuperação de desastres, pois os profissionais já são preparados para lidar com isso e possuem experiência suficiente para cuidar de tudo com tranquilidade e rapidez.

Se a sua empresa ainda não tem um plano de continuidade do negócio, comece ainda hoje a organizá-lo. Afinal, nunca se sabe quando um desastre pode acontecer.

Vamos começar? Entre em contato com a gente agora mesmo e dê início ao seu plano de continuidade do negócio!

Conteúdos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *